Este site usa cookies e tecnologias afins que nos ajudam a oferecer uma melhor experiência. Ao clicar no botão "Aceitar" ou continuar sua navegação você concorda com o uso de cookies.

Aceitar

Reflexões

O Suave e Prazeroso Caminho do Inferno

Fernando Petersen
Escrito por Fernando Petersen em 25/06/2021
O Suave e Prazeroso Caminho do Inferno
receba mensalmente um PDF ESPECIAL e SURPRESA no seu email.

SE INSCREVA NA LISTA DE EMAIL

Uma das formas mais poderosas de nos ajudar com o desapego é refletir sobre as Verdade Eternas. Que é suave e prazeroso o caminho do inferno todos nós já sabemos, aliás, nem precisava “saber”, afinal, já buscamos o instintivamente por causa do pecado original.

Refletir sobre as Verdade Eternas nos crava na realidade e nos faz olhar além. O que estou fazendo agora comigo? O que estou fazendo agora com o irmão? Quais as consequências disso?

No Evangelho proposto para este décimo dia de preparação para a Consagração a Nossa Senhora, Jesus continua nos apresentando o Reino dos Céus através de parábolas e nos mostra como o apego aos nossos bens ou a nós mesmos nos faz rejeitar graças.

EVANGELHO E ORAÇÕES

O Evangelho é o da parábola do Rei que prepara a festa de casamento do seu filho, convida as pessoas mais importantes para ele e todas elas rejeitam esta graça. Essa parábola está no Evangelho de São Mateus, Capítulo 22, Versículos de 11 a 14.

Se você já fez todas as orações propostas no Tratado para hoje e acompanha o Mariale Scholae no Instagram com atenção nos stories, já soube também, desde cedo, o Evangelho para meditar, com a oração e a jaculatória. Então, é só seguir para o próximo tópico da meditação.

Caso ainda não tenha feito alguma dessas coisas, sugiro que dê uma pausa e faça o que estiver faltando. Somente depois siga para a reflexão abaixo.

A seguir, também, a Oração e a Jaculatória para hoje:

Oração: Mãe amadíssima, não nos deixe perecer! Não queremos nos apartar de Vós. Mortificaremos o corpo, com os seus sentidos, entregando-os ao vosso único serviço de amor. Conduzi-nos a Jesus, para que, por meio do seu Santíssimo Coração, tenhamos a ainefável posse de Deus. Amém!

Jaculatória: Maria Imaculada, Mãe do Redentor, apressai-Vos em socorrer-nos nas nossas misérias!

DEUS É AMOR E “NECESSITA” PARTILHAR

A amor de Deus é tão grande, tão intenso, que mesmo Ele sendo Rei do Universo e de nada precisar, Ele quer necessitar distribuir esse amor, Deus quer ter a nós perto Dele. Quem ama quer se unir, deseja estar próximo da pessoa amada, que se doar.

Na parábola contada por Jesus, Nosso Senhor diz que o Reino dos Céus é como esse Rei que preparou a festa de casamento, ou seja, a união, a partilha de amor. A transformação de 2 em 1, dois amores em um mesmo amor. E, lógico, sendo Deus o Amor Infinito, é Ele quem dar esse Amor para ser amado de volta.

NEM SEMPRE O AMOR É ATRATIVO

Mas, amar significa se doar, se dedicar, abrir mão, dar atenção, se comprometer. Nem sempre o amor é atrativo, não é? Muitas vezes preferimos outros atrativos a este que pode vir a exigir bastante de nós. O caminho do amor acaba, com o tempo, se tornando pesado e árduo, pois temos essa triste tendência do apego de si, ao egoísmo e ao que é nosso.

Muito diferente do inferno que é suave e prazeroso porque nos alimentamos de nós mesmos, não temos compromisso com nada, a não ser com nós mesmo ou com o que nos dá prazer e enquanto nos dá prazer, pois o que vale é o bem estar em cada momento.

OCUPAÇÃO QUE NOS DISTRAI DE DEUS

deus convida todos, mas as distrações nos faz rejeitar

Entrando na parábola em si, repare que primeiro o Rei chama os convidados, como e fosse uma primeira lista, uma lista mais importante para ele, uma lista de escolhidos, de eleitos. Entende-se aqui que os convidados eram conhecidos e próximos ao rei. Isso acaba chamando a atenção de como muitas vezes nos acostumamos com aqueles que temos muito contato, não é?

As pessoas de nossa casa, amigos que estão sempre perto e que, por terem acesso fácil a nós, muitas vezes, por estarmos ocupados demais, deixamos de dar atenção e negligenciamos. São as distrações. No primeiro chamado, nem deram ouvidos aos servos do Rei de tão ocupados ou distraídos que estavam.

Trazendo para a realidade celestial, estavam tão ocupados e distraídos com seus apegos mundanos que sequer notaram estar no caminho suave e prazeroso do inferno.

O AMOR É INSISTENTE E GERA IMPACIÊNCIA

Este é um ponto que eu acho “interessante”. Reparou que geralmente somos mais impacientes com as pessoas que mais nos amam e nos querem bem?

O Rei amava tanto os convidados que apesar de ter sido ignorado enviou outros servos com mais argumentos para ver se gerava algum interesse na festa. Nem precisava retribuir com o mesmo amor sem interesse, com a mesma vontade de estar junto, poderia ser pelo interesse pelos atrativos da festa.

O Rei não só insistiu, mas também abiu mão da retribuição. Isso sim é amor! “Venham! Eu amo vocês” Mesmo que vocês não me amem, quero estar junto de vocês!” Mas, ainda assim, os apegos do mundo eram mais atrativos, pareciam mais interessantes e alguns até perderam a paciência com a insistência.

O caminho do inferno é tão suave e prazeroso que insistir para que alguém saia deste caminho acaba sendo uma ofensa. Já repararam como muitos ficam ofendidos quando os chamamos para o caminho da conversão?

CHAMADO A TODOS. É PRECISO AMAR A TODOS

O rei, que é o próprio amor, ainda queria partilhar desse amor. Não encontrando quem quisesse entre os eleitos, entre os convidados, saiu para chamar a todos.

Quem tem o coração direcionado para o amor é assim que age. Por isso que, diferente do caminho do inferno que é suave e prazeroso, o caminho do amor, do Céu, é pesado e árduo. Distribuir tanto amor vamos ser traídos, nos decepcionarmos, sermos explorados, vão se aproveitar da nossa boa vontade, seremos motivos de piadas e chacotas…

Enfim, o Rei chamou a todos para o Reino dos Céus. Nós devemos nos abrir para amar a todo também. Isso é, querer a Salvação de todos, querer que todos se vistam com as vestes do sangue do cordeiro.

POR JUSTIÇA HÁ LIMITE

por justiça é preciso ter limite na tolerâcia

Mas é preciso ter um limite, não é? Na festa aparecem alguém sem a devida veste, ou seja, apareceu alguém dissimulado, insultando… Ou, podemos dizer também, alguém acomodado, morno, aquele que por não ser bom, não é digno do Céu e por não ser mau não tem como se corrigir para ser bom.

O caminho que este percorre é o mesmo. O caminho suave e prazeroso do inferno. Para quem tem essa vida “morna”, este é o lugar prazeroso, esta é a situação de conforto.

MUITOS SÃO CHAMADOS, POUCOS ESCOLHIDOS

É com essa frase que Jesus termina o Evangelho de hoje.

Muitos são chamados, a grande maioria não vai dar devida atenção ou vai se apresentar com algum interesse ou maldade. Mas, a oportunidade é igual para todos. Todos são chamados, poucos querem subir o monte do Reino dos Céus. Grande parte prefere o caminho suave e prazeroso do inferno.

PROPÓSITO

Não sei se dessa vez foi fácil notar, mas o rei quando faz o convite, isso pode ser considerado como graças que Deus derrama para nós convertermos. As graças são convites de Deus para que nos convertamos.

Olhe agora para sua volta e veja se não está negligenciando alguém próximo por falta de tempo, por estar com preocupações demais. Mas, lembre-se! Tem limite! O Rei expulsou aquele que não estava vestido adequadamente, aquele que não estava indiferente ou que não faria diferença estar lá ou não.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado.