Este site usa cookies e tecnologias afins que nos ajudam a oferecer uma melhor experiência. Ao clicar no botão "Aceitar" ou continuar sua navegação você concorda com o uso de cookies.

Aceitar

Reflexões

O Reino dos Céus é Como... O Sentido da Vida

Fernando Petersen
Escrito por Fernando Petersen em 22/06/2021
O Reino dos Céus é Como... O Sentido da Vida
receba mensalmente um PDF ESPECIAL e SURPRESA no seu email.

SE INSCREVA NA LISTA DE EMAIL

Neste sétimo dia de preparação já podemos começar com uma pergunta: O Reino dos Céus é Como? Sim, afinal, estamos nos preparando para nos consagrarmos a Jesus pelas mãos de Nossa Senhora e nesses primeiros doze dias estamos buscando nos desapegarmos do mundo e de nós mesmos.

Mas, com qual finalidade? Por que precisamos nos desapegarmos do mundo e de nós mesmos se estamos no mundo e somos nós mesmos?

A FINALIDADE DA CONSAGRAÇÃO É O CÉU

Então, estamos fazendo isso porque existe um Reino preparado para todos nós, seres humanos, que fomos criados para este Reino, o Reino dos Céus. E é este o sentido de nossa existência, o sentido de nossa vida, foi para voltarmos ao Reino dos Céus que Jesus se encarnou para nos salvar.

A consagração é exatamente um caminho que nos propomos fazer para, com Maria, correspondermos a Graça que Deus nos deu enviando o Seu Filho Unigênito para nos Salvar.

EVANGELHO DESTE SÉTIMO DIA

Para este sétimo dia de preparação, o Evangelho proposto é o de São Mateus, Capítulo 13, Versículos de 24 a 34. O Evangelho que Jesus nos conta três parábolas para nos dizer como é o Reino dos Céus.

Se você segue o Mariale Scholae no Instagram, já viu desde cedinho o Evangelho, a Oração, a Jaculatória e a pista para reflexão. E, creio, também já fez as Orações do Tratado e já meditou o Evangelho de hoje. Neste caso, é só seguir para a reflexão.

Caso não, sugiro que pare aqui e faça as Orações do Tratado de São Luís, leia e medite o Evangelho proposto para hoje e retorne para rezar a Oração e Jaculatória a seguir e seguir para a reflexão.

Oração: Senhora Dulcíssima, rompei em nós as cadeias que nos prendem ao espírito do mundo. Confessamos que, afastados de Vós e de Jesus, só encontramos a amargura do inferno. Santíssima Virgem, queremos emendar-nos realmente, entregando-nos ao vosso serviço, experimentando a liberdade de sermos os Vossos Escravos de Amor. Amém!

Jaculatória: Maria Santíssima, fonte viva da graça, expulsai de nós todos os erros!

O REINO DOS CÉUS É COMO…

Jesus fala muitas e muitas vezes sobre o Reino dos Céus nas Sagradas Escrituras e também faz muitas comparações. No Evangelho proposto para hoje, Ele contou três parábolas comparando o Reino dos Céus com três coisas especificamente:

  • Alguém que semeia boa semente e zela por ela;
  • É como um grão de mostarda que é pequeno, mas surpreendentemente e sem que vejam se torna grande e robusto;
  • E por fim, diz que é como fermento, que contagia o que entra em contato com ele

Presta atenção que Jesus compara o Reino dos Céus, nestes três casos, não com um local, mas com “algo” ou “alguém”.

Então, o que é esse “Reino dos Céus”?

ALGUÉM QUE SEMEOU BOA SEMENTE E É ZELOSA

Logo na primeira parábola Jesus coloca o Reino dos Céus como alguém, como uma pessoa, e uma pessoa importante que tem certo senhorio e é dono de um campo, tendo, também, quem trabalhe para ele, sendo senhor.

Mas, também, é uma pessoa que tem inimigos e que confia naqueles em que m delegou alguma missão. Também é paciente e zeloso, não só com o que é seu, com suas sementes, com o que semeou ou com o seu trabalho, mas também com quem ele confiou e, no descanso, acabou deixando o inimigo se aproveitar e estragar parte do trabalho.

O Reino dos Céus é como alguém que é zelosa, não querendo perder nenhuma semente espalhada e quer colher tudo de bom que plantou. É uma pessoa justa, que só fica com o que é bom, o que é mau descarta, depois de dar tempo ao tempo para tal distinção.

É COMO ALGO QUE CRESCE, PROTEGE E CONTAGIA

fermento que leveda a massa

Podemos dizer também que o Reino dos Céus é como algo que é muito pequeno mas tem um potencial imenso de crescer, proteger, confortar, abrigar… É como algo que pode parecer insignificante, mas que misteriosamente se transforma em algo tão grande e robusto que chega a se destacar.

Já na terceira parábola, Jesus conta que o Reino dos Céus é como algo que contagia o que entra em contato com esse algo até que tudo fique muito parecido e, diria, crescido, pronto.

O QUE É O REINO DOS CÉUS?

Mistério, para se dar uma resposta definitiva. Mas, deixe-me ser um pouco ousado. No contexto que estamos aqui, hoje, de preparação para a consagração e também lendo este Evangelho, eu poderia dizer que o Reino dos Céus é em primeira instância, obviamente, Jesus. Mas, por que não poderia dizer que é de alguma forma Nossa Senhora que deixou Jesus agir de forma tão perfeita Nela?

Sendo mais um pouco ousado, porque não poderia dizer que esse Reino dos Céus é como um Consagrado a Nossa Senhora que, pelas mãos de Maria, vai se deixando moldar por Jesus e, Nele, inserido Nele, ser como o Reino dos Céus que semeia, se esconde, cresce, quando menos se espera aparece, acolhe, conforta, ajuda, contagia, abriga…?

Reflitamos mais um pouco. E pense no que deixei um pouco em aberto: O sentido da vida.

PROPÓSITO

Como no propósito da reflexão passada, não vou aqui deixar uma listinha, mas uma breve reflexão para você fazer:

Você anda vivendo como se desejasse o Reino dos Céus? Ou até mesmo ser como o Reino dos Céus? Não estaria aí o sentido da vida, ser o Reino dos Céus em Cristo Jesus com Maria Santíssima?

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado.